domingo, 21 de agosto de 2016

BEN-HUR: Longa fatura US$ 22 milhões no mundo e põe produções religiosas em xeque-mate

Woow, Cinemaster!!! A MGM e a Paramount levaram o que eu chamo de tombo anunciado. Afinal, todo mundo, quem está no mercado e até mesmo quem não está no mercado, sabe que não é mais seguro para grandes estúdios realizarem longas de gigantes orçamentos sobre tramas religiosas. Foi-se o tempo que uma película como A Paixão de Cristo, de Mel Gibson, chegava a uma repercussão gigantesca. Em 2014, o muito legal Noé, de Darren Aronofsky, também mostrou o mesmo efeito: orçamento de US$ 150 milhões, batendo US$ 200 milhões quando acrescentado o orçamento, e faturamento de apenas US$ 400 milhões. Ben-Hur, 100 milhões de dólares e apenas US$ 22 milhões. Isso sem falar em Êxodo - Deuses e Reis, de Ridley Scott - US$ 140 milhões de orçamento e míseros US$ 268 milhões em arrecadação. 

Em linhas gerais, Cinemaster, não acredito que seja apenas o fato de todos esses serem longas religiosos, ou que haja algo de preconceito ao redor do tema. Há uma série de fatores que corroboram para a fraca arrecadação. No caso de Ben-Hur foi o mercado em si. O longa foi bem aceito pela crítica, ao contrário de Êxodo, por exemplo, mas esse "bem aceito" foi simplesmente um "bem aceito". A qualidade do cinema mundial como um todo está aumentado e já chegamos num nível que para levar milhares de pessoas aos cinemas, para que haja um boca a boca poderoso, uma produção de grande orçamento precisa realmente ser épica, gigantesca em termos de história, em termos de personagens, elementos que eu e você vimos pouco, muito pouco ao longo desse verão americano. 

Por exemplo Quarto de Guerra, Deus Não Está Morto, Deus Não Está Morto 2 e Milagres do Paraíso. Todos são longas religiosos, sejam eles de cunho católico ou evangélico, mas unidos, esses quatro projetos não chegam aos US$ 30 milhões em orçamento, mas sabe de quanto foram os faturamentos?! Quarto de Guerra - US$ 67 milhões, Deus Não Está Morto 1 e 2 - US$ 80 milhões e Milagres do Paraíso - US$ 73 milhões. No resumo da ópera, é hora dos estúdio derem uma trégua, porque no fim das contas, o mercado neste momento não está propício para longas religiosos de grandes orçamentos.



  

    


Ben-Hur é a história épica de Judah Ben-Hur (Jack Huston), um príncipe falsamente acusado de traição por seu irmão adotivo Messala (Toby Kebbell), um oficial do exército romano. Destituído de seu título, afastado de sua família e da mulher amada (Nazanin Boniadi), Judah é forçado à escravidão. Depois de muitos anos no mar, Judah retorna à sua pátria em busca de vingança, mas encontra a redenção. Baseado no romance clássico de Lew Wallace, Ben-Hur: Uma História dos Tempos de Cristo. O longa também é estrelado por Morgan Freeman como Sheik Ilderim e Rodrigo Santoro como Jesus Cristo. Adaptado da obra escrita por Lew Wallace, o roteiro vem assinado por Keith R. Clarke e a direção é de Timur Bekmambetov. 

Ben-Hur tem estreia marcada nos cinemas brasileiros para 18 de agosto!!!

Por: Diego Domingos
Publicado em: 21/08/16

 

Jack