domingo, 11 de setembro de 2016

STEVE JOBS: Michael Fassbender revela que pensou em deixar longa por conta do longo roteiro

Nãããããããããããããão! Ainda bem que ele continuou, Cinemaster (hehehe). Tudo bem que sou fascinado pela biografia de Steve Jobs, tudo bem que sou fascinado por Danny Boyle, tudo bem que sou fascinado por Aaron Sorkin e não menos... fiquei fascinado pela cinebiografia, que claramente merecia ter sido indicada ao Oscar de Melhor Longa. Mas a questão é que... quando se trata de um roteiro escrito por Aaron Sorkin, é melhor se preparar. Você provavelmente também deve saber a estimativa de que uma folha de roteiro equivale a um minuto na tela, certo?! Pois bem, para Sorkin, nada disso. Para ele, um minuto de cena equivale a, no mínimo, duas a três páginas - somente de textos - sem ações em geral, e quando a tática é o Walk and Talk (Falar e Andar) aí é que as páginas se tornam ainda mais longas para um curto tempo. E em conversa com o Vulture no Festival de Toronto, Fassbender disse justamente isso, que pensou em deixar de lado o projeto porque o roteiro era extremamente denso, gigante. "Era tão denso! Era uma montanha de papel, e eu sou um aprendiz, sou muito lento, por isso, quando o roteiro chegou até mim e surgiu a oportunidade de fazer o papel, eu realmente pensei, "Isso não é comigo. Isso deve ser para outra pessoa.'. Mas no fim deu tudo certo." E como deu, Michael ficou muito melhor como Jobs do que eu poderia imaginar Christian Bale, que chegou a ser confirmado, mas saiu devido a demora na procura de um diretor para a adaptação! =D

Por: Diego Domingos
Publicado em: 11/09/16

 

Jack